quinta-feira, 29 de outubro de 2009

  Salmo  23  -  O Bom Pastor

Cristo é a fonte de água que jorra para a vida eterna ( Jo 4:14 ). Ele também é o pão vivo que desceu dos céus ( Jo 6:51 ). Quem crê em Cristo passa a viver especificamente da palavra que sai da boca de Deus ( Jo 6:58 )! Para as ovelhas, os verdes pastos (pão) e a água perene (vida eterna) são suficientes para a subsistência, ou seja, de nada tem falta ( Ef 1:3 ; 1Co 1:5 ; 2Pe 1:3 ).

Não podemos esquecer que os salmos são profecias, conforme lemos em 1Cr 25:1 : “E DAVI, juntamente com os capitães do exército, separou para o ministério os filhos de Asafe, e de Hemã, e de Jedutum, para profetizarem com harpas, com címbalos, e com saltérios; e este foi o número dos homens aptos para a obra do seu ministério”.
Para entendermos a composição do Salmo 23, faz-se necessário entendermos o verso 1 do salmo 110, que diz: “DISSE o SENHOR ao meu Senhor: Assenta-te à minha mão direita, até que ponha os teus inimigos por escabelo dos teus pés” ( Sl 110:1 ).
Este salmo foi citado por Jesus ao interrogar os fariseus, que não souberam responde-lo. Acompanhe a narração do evangelista Mateus: “E, estando reunidos os fariseus, interrogou-os Jesus, Dizendo: Que pensais vós do Cristo? De quem é filho? Eles disseram-lhe: De Davi. Disse-lhes ele: Como é então que Davi, em espírito, lhe chama Senhor, dizendo: Disse o Senhor ao meu Senhor: Assenta-te à minha direita, Até que eu ponha os teus inimigos por escabelo de teus pés? Se Davi, pois, lhe chama Senhor, como é seu filho? E ninguém podia responder-lhe uma palavra; nem desde aquele dia ousou mais alguém interrogá-lo” ( Mt 22:41 -43).
Após a exposição de Cristo, é possível definir que Cristo, o filho de Davi, é o Senhor que se assentou a destra da Majestade nas alturas ( Hb 1:3 ). Ora, o Senhor Jesus interpretou o Salmo 110, demonstrando que Davi, ao profetizar, lhe chamou de Senhor.
No salmo 110, verso 1, Davi chamou o Messias de Senhor dizendo: ‘... meu Senhor...”. Em espírito Davi ouviu o 'Senhor' (o Pai) dizer ao 'seu Senhor' (o Filho) para se assentar a sua mão direita e aguardar um período de tempo determinado: até que os seus inimigos fossem postos por escabelos dos seus pés.

Agora, estamos de posse de alguns elementos que nos auxiliarão na interpretação do Salmo 23.

“O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará”

Levando-se em conta o Salmo 110, de qual Senhor o salmista declarou: “O Senhor é o meu pastor...” ?( Sl 23:1 ). Do Pai ou do Filho?

No Salmo 110, Davi ‘em espírito’ chamou o Filho de ‘meu Senhor’, e no Salmo 23 ele aponta para o seu (meu) Senhor, o Pastor.

“O SENHOR é o meu pastor, nada me faltará” ( Sl 23:1 );

“DISSE o SENHOR ao meu Senhor: Assenta-te à minha mão direita, até que ponha os teus inimigos por escabelo dos teus pés” ( Sl 110:1 ).

Vemos na plenitude dos tempos, o Senhor Jesus Cristo anunciar ser o Pastor há muito predito pelo salmista Davi, quando disse: "Eu sou o bom Pastor... " ( Jo 10:11 e Jo 10:14 ; Ef 1:10 ; Gl 4:4 ).

O Pastor do Salmo 23 é o Senhor que se assentou à destra do Altíssimo quando retornou a sua glória, conforme o que foi predito no Salmo 110 ( Jo 17:1 ).

Por que Jesus utilizou o predicativo ‘bom’ ao identificar-se como o Pastor do Salmo 23? Porque Ele é o Verbo de Deus encarnado ( Jo 1:14 ), o Deus Altíssimo ( Is 57:15 ), o Senhor entronizado conforme prediz o Salmo 45: “O Teu trono, ó Deus, é eterno e perpétuo; o cetro do teu reino é um cetro de equidade. Tu amas a retidão e odeias a impiedade; portanto Deus, o teu Deus te ungiu com o óleo de alegria, mais do que a teus companheiros” ( Sl 45:6 -7).

Compare:

“DISSE o SENHOR ao meu Senhor: Assenta-te à minha mão direita, até que ponha os teus inimigos por escabelo dos teus pés” ( Sl 110:1 ).

“O Teu trono, ó Deus, é eterno e perpétuo (...); portanto Deus, o teu Deus te ungiu com o óleo de alegria, mais do que a teus companheiros” ( Sl 45:6 -7).

No salmo 45 Jesus é apresentado pelo salmista no reino da sua glória, o Senhor Deus que reina com justiça e equidade, do mesmo modo que foi apresentado no salmo 110 em igualdade com o Pai. O escritor aos Hebreus destaca este fato: “Mas, do Filho, diz: Ó Deus, o teu trono subsiste pelos séculos dos séculos; Cetro de eqüidade é o cetro do teu reino” ( Hb 1:8 ).

Sem sombras de dúvidas Jesus Cristo é o bom Pastor, visto que:

Somente Deus é bom "Jesus lhe disse: Por que me chamas bom? Ninguém há bom, senão um, que é Deus" ( Lc 18:19 ), e;

Deus e Cristo são um "Eu e o Pai somos um" ( Jo 10:30 ), conforme o estabelecido na eternidade: "Porque, a qual dos anjos disse jamais: Tu és meu Filho, Hoje te gerei? E outra vez: Eu lhe serei por Pai, e ele me será por Filho?" ( Hb 1:5 ).

O salmo 23 através da declaração ‘nada me faltará’ apresenta o predicativo ‘bom’ pertinente ao Pastor. Quando lemos que ‘nada faltará’ a ‘ovelha’, é certo que o Pastor é bom.

Os que recebem a Cristo como Pastor em tudo têm toda suficiência, ou seja, de '... nada têm falta'! "Temei ao SENHOR, vós, os seus santos, pois nada falta aos que o temem" ( Sl 34:9 ; 2Co 9:8 ).

Há os que pensam que a promessa de que ‘nada faltará’ àqueles que têm a Cristo como Senhor lhes proporcionará farturas de bens materiais aqui neste mundo, porém enfatuados estão em suas mentes carnais.

O apóstolo Paulo explica que Deus é poderoso para fazer abundar toda graça com o objetivo de que os cristãos tenham sempre, em tudo, toda suficiência. A promessa é que os cristãos terão fartura (abundeis) em toda boa obra, e não em riquezas materiais.

Aquele que tem Cristo como Pastor (meu), é ovelha do seu aprisco "As minhas ovelhas ouvem a minha voz, e eu conheço-as, e elas me seguem" ( Jo 10:27 ). Entram no aprisco do Senhor e encontraram paz e descanso para a suas almas ( Mt 11:29 ), porém, as aflições deste mundo persistem ( Jo 16:33 ).

A condição da ovelha do bom pastor é perene, visto que de nada tem falta hoje e nada há de faltar no futuro. O verbo no futuro não é uma promessa para o futuro, antes conota provisão agora e para sempre.

“Deitar-me faz em verdes pastos, guia-me mansamente a águas tranqüilas. Refrigera a minha alma; guia-me pelas veredas da justiça, por amor do seu nome”

Jesus anunciou ser:

A Porta – ‘Eu sou a porta’ ( Jo 10:9 ) – Ou seja, Cristo é a porta das ovelhas, pela qual os homens que ouvirem a sua voz necessitam entrar para serem salvos ( Mt 7:13 );

O Bom Pastor ( Sl 10:11 ) - ‘Eu sou o bom Pastor’ ( Jo 10:11 ) – Aquele que dá a sua vida em prol das ovelhas.

Aqueles que entram por Cristo, a porta estreita, são comparados a ovelhas, visto que o Pastor é quem guia pelas veredas eternas. Ora, qualquer que entra pela porta estreita que é Cristo, está num caminho estreito que o conduz a vida eterna “Mas estreita é a porta, e apertado o caminho que conduz para a vida...” ( Mt 7:14 ), e encontra descanso (deitar-me) para a alma ( Mt 11:29 ).

Ora, tanto a figura do ‘caminho apertado’, quanto à figura do ‘Bom Pastor’ é Cristo, duas parábolas que ilustram como se dá a salvação em Cristo, visto que:

‘o caminho apertado’ conduz o homem a Vida, e;

O Bom Pastor conduz ‘as ovelhas’ as águas tranqüilas.

A confiança no ‘Bom Pastor’ vem expresso na frase ‘nada me faltará’. Qualquer que crê em Cristo de nada tem falta e alcança o descanso prometido.

“Deitar em verdes pastos” refere-se ao descanso prometido por Cristo: "Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas" ( Mt 11:29 ).

Aquele que confia em Cristo encontra descanso, conforme o escritor aos Hebreus escreveu: “Ora, nós que temos crido, entramos no descanso...” ( Hb 4:3 ). Após crer no Bom Pastor, que é Cristo Jesus, as suas 'ovelhas' descansam, pois é Ele quem guia as 'ovelhas' em segurança às águas tranqüilas (vida eterna).

Cristo é a fonte de água que jorra para a vida eterna ( Jo 4:14 ). Ele também é o pão vivo que desceu dos céus ( Jo 6:51 ). Quem crê em Cristo passa a viver especificamente da palavra que sai da boca de Deus ( Jo 6:58 )!

Para as ovelhas, os verdes pastos (pão) e a água perene (vida eterna) são suficientes para a subsistência, ou seja, de nada tem falta ( Ef 1:3 ; 1Co 1:5 ; 2Pe 1:3 ).

A confiança em Cristo como pastor proporciona aos seus seguidores descanso, segurança e refrigério. Tal condição é descrita pelo apóstolo Paulo como ‘estar assentado’ em Cristo Jesus nas regiões celestiais ( Ef 1:3 ).

Jesus, o Bom Pastor, é o caminho de Justiça que conduz os homens a Deus "Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim" ( Jo 14:6 ). Somente trilham o novo e vivo caminho aqueles que são nascidos da água (palavra) e do Espírito (Deus) ( Hb 10:20 ).

O salmista Davi enumerou através do Salmo 23 algumas das características da salvação de Deus em Cristo: Descanso (deitar-me); segurança (guia-me) e refrigério (águas tranqüilas) ( Sl 23:2 -3).

Em Cristo o homem está seguro, pois tudo Ele fará pelo amor do seu nome "Não obstante, ele os salvou por amor do seu nome, para fazer conhecido o seu poder" ( Sl 106:8 ).

A salvação não é proveniente de méritos ou sentimentos próprios aos homens, antes a salvação decorre do poder de Deus, que salva o homem segundo o seu beneplácito ( Ef 1:9 ). A salvação é proveniente da fé (evangelho) que produz no homem confiança (fé) ( Rm 1:17 ).

“Ainda que eu andasse pelo vale da sombra da morte, não temeria mal algum, porque tu estás comigo”

Mesmo que seja necessário andar ‘pelo vale da sombra da morte’, a segurança daqueles que confiam em Cristo, o Bom Pastor, não se abala. Por quê? A resposta decorre da fidelidade de Deus, pois Ele prometeu estar com os que confiam todos os dias ( Mt 28:20 ).

A confiança do Cristão vem expressa na frase ‘... porque tu estais comigo’. Qualquer que está em Cristo lança fora o medo, pois "No amor não há temor, antes o perfeito amor lança fora o temor; porque o temor tem consigo a pena, e o que teme não é perfeito em amor" ( 1Jo 4:18 ).

Qualquer que teme é porque não conhece a largura, a profundidade, a altura e o comprimento do amor de Deus ( Ef 3:17 ). Desconhece que Cristo habita pela fé no coração dos que lançam fora o medo proveniente da servidão ao pecado ( Jo 14:23 ; Hb 10:19 ).

O medo é pertinente aos que estão sujeitos a servidão ( Hb 2:15 ), pois todos que tem o ‘Bom Pastor’ como Senhor foram transportados das trevas para o reino do Filho do amor de Deus ( Cl 1:13 ).

Todos quantos tem o Senhor Jesus como Pastor desceram as regiões da morte quando foram crucificados e sepultados com Cristo ( Rm 6:6 ), porém, ressurgiram vitoriosos em Cristo, sendo criados de novo em verdadeira justiça e santidade.

O bordão e o cajado do Pastor constituem-se em amparo para os que nele confiam. O bordão é uma vara curta e o cajado uma vara longa com um gancho numa das extremidades. Este serve para trazer a ovelha para junto do pastor e aquela para guiá-la.

As palavras do Pastor, a verdade do evangelho, desempenham a função da vara e do cajado: guia, correção e consolo ( Jo 10:4 ; Jo 5:24 ).

“a tua vara e o teu cajado me consolam. Preparas uma mesa perante mim na presença dos meus inimigos, unges a minha cabeça com óleo, o meu cálice transborda”

É o Senhor quem peleja em favor daqueles que crêem no bom Pastor ( Ex 14:14 ). Quantos inimigos o Senhor Jesus derrotou na sua morte? O mundo, a carne, o pecado, satanás e as potestades!

Diante dos inimigos é necessário a ovelha ser participante da mesa do Senhor! E pelo Senhor os cristãos são mais que vencedores ( Rm 8:37 ), porém, necessitam participar da mesa preparada para que possam se fortalecer no Senhor e na força do seu poder ( Ef 6:10 ).

Qual o poder de Deus? Ora, o evangelho é o poder de Deus, para todo que crê "E qual a sobreexcelente grandeza do seu poder sobre nós, os que cremos, segundo a operação da força do seu poder" ( Ef 1:19 ; Rm 1:16 ; Jo 1:12 ; 1Co 1:24 ).

A mesa preparada (banquete) na presença dos inimigos equivale à figura da vara e do cajado que consolam. Como o Pastor guia as ovelhas às águas? Como conduz por veredas de justiça? Através do bordão e do cajado.

O escritor aos Hebreus alerta que Deus falou de muitas maneiras (até mesmo pelo Filho), portanto, o Cristão deve atentar para o que já foi anunciado, para que não se desvie ( Hb 1:1 e Hb 2:1 ).

Qualquer que ouve a palavra do Senhor alimenta-se do que é bom. Torna-se participante do banquete (mesa) do Senhor ( Hb 4:2 ; Is 55:2 -3). Por que o banquete é na presença dos inimigos? Por que não temos que lutar contra carne e sangue, antes contras os principados, contra as potestades, contras os poderes deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais da maldade nos lugares celestiais.

Ora, as ovelhas descansam nos prados verdejantes, que é o banquete preparado pelo Pastor. E é neste lugar maravilhoso em que as ovelhas descansam que permanecem na presença dos inimigos, pois o adversário fica ao derredor "Sede sóbrios; vigiai; porque o diabo, vosso adversário, anda em derredor, bramando como leão, buscando a quem possa tragar" ( 1Pe 5:8 ).

E onde se dá a batalha do Cristão? Nas regiões celestiais, ou seja, em pastos verdejantes! Enquanto participa da mesa do Senhor (assentado nas regiões celestiais) o cristão luta contra os inimigos (nas regiões celestes). A luta se dá onde o cristão está assentado, repousando ( Ef 1:3 ; Ef 2:6 e Ef 6:12)!

E qual o teor da batalha? É estar revestido da armadura de Deus (participando da mesa) que é a verdade do evangelho ( Ef 6:13 ), para que possa lutar pela fé que uma vez foi dada aos santos ( Jd 1:3 ; Fl 1:27 ).

A unção com óleo era uma prática comum na palestina, e neste caso demonstra que a ‘ovelha’ é convidada do ‘Pastor’. A unção (eleição, escolha) do Senhor permanece sobre os que recebem a Cristo por Pastor.

Assim como o cálice ‘transborda’, significa que aqueles que se alimenta da carne e do sangue de Cristo estão plenos d'Ele "Da sua plenitude todos nós recebemos graça sobre graça" ( Jo 1:16 ; Cl 2:10 ).

“Certamente que a bondade e a misericórdia me seguirão todos os dias da minha vida; e habitarei na casa do SENHOR por longos dias”

As ovelhas do rebanho do Senhor estarão protegidas todos os dias pela bondade e pela misericórdia do Bom Pastor.

A Bondade e a Misericórdia estão com as ovelhas do aprisco do Senhor, ou seja, Ele permanecerá com elas. Se algo ‘segue’ todos os dias da vida é porque está junto, unido.

É por isso que o escritor aos Hebreus diz: “Seguia a paz com todos, e a santificação, sem a santificação ninguém verá o Senhor” ( Hb 12:16 ). Muitos pensam que é necessário o cristão aplicar-se a seguir a Cristo, porém, o Salmo demonstra que a bondade e a misericórdia é que seguirá as ovelhas do Senhor.

Ora, seguir a santificação é o mesmo que seguir a justiça, a fé, o amor e a paz ( 2Tm 2:22 ). Observe que devemos seguir a Cristo, a nossa santificação ( 1Co 1:30 ), juntamente com todos que invocam ao Senhor.

Como seguir a santificação? Ora, basta crer em Cristo que o homem adquire um novo coração puro ( Sl 51:10 ), onde Deus, que é Bondade e Misericórdia, habita ( Is 51:17 ; Is 57:15 ).

As "ovelhas" habitarão para sempre com o Bom Pastor, pois são templo e morada do Espírito ( Jo 14:3 ).

Observe que a santificação não é progressiva pelo fato de o cristão seguir a santificação, visto que também seria progressiva a justiça, a fé, o amor e a paz ( 2Tm 2:22 ).

Ora, se o cristão deve seguir a paz juntamente com todos que invocam a Cristo como Senhor, é certo que seguirá a santificação, a fé, o amor, a misericórdia a benignidade, a justiça, etc.

Nenhum comentário:

Postar um comentário